sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Beija-flor-de-bico-curvo

Polytmus guainumbi ( Pallas, 1764 )

Gênero POLYTMUS Brisson




Foto gentilmente cedida para esta matéria por André Netto, feita em Lagoa Village Betania, Sobral-CE, feita em 04.05.2010.É uma das fotos mais bem avaliadas da especie no WIKAVES.


Lado dorsal  verde-bronze-escuro, supracaudais mais bronze-cobreadas; lado ventral verde-ouro-brilhante-luminoso; as penas da barriga com margem cinza; cauda verde, as retrizes laterais com um campo cinza-esbranquiçado na barba externa da metade basal e pontas esbranquiçadas; listra pouco nítida branca atraz e baixo dos olhos; mandibula preta (na pele empalhada freqüentemente marrom-escura) maxila cor de carne com ponta escura; pés marrons.
Peso 5 g. Medidas: ct. 112mm, a. 59mm, c. 39mm, b. 26mm.

JOVEM - SEXO INDETERMINADO
o bico curvo ficou evidente nesta foto
Foto gentilmente cedida para esta matéria por André Netto, feita em Village Betania, Sobral-CE, em 09.08.2010.
Observação do autor: Se o bico já é tão grande,mais impressionante é a língua...realmente maravilhas da natureza.

Femea como o macho, no entanto o meio da barriga e as margens das penas do lado ventral brancos.

Distribuição geográfica: Trinidad, Venezuela, Guianas e N_Brasil, em Roraima e Amapá.
NOTA DO BLOG: O livro e pesquisa foram feitas já algum tempo. Agora no WIKIAVES, já aparecem registros feitos em: Ribeirão Preto, Dourado, Campinas, São José dos Campos, Lençóis Paulista... cidades do Estado de São Paulo, e em outros vários estados do Brasil.

MACHO - JOVEM
Foto gentilmente cedida para esta matéria por André Netto, feita no apartamento do seu amigo André Adeodato, Sobral-CE, em 13.10.2010.

Vivem em terreno aberto, savanas.
A construção do ninho é semelhante a do Colibi serrirostris.

Ovo: 12,8 x 8,4mm, 13,3 x 8,9mm.
Citação: Os Beija-flores do Brasil - Rolf Grantsau.

MACHO -ADULTO
Foto gentilmente cedida para esta matéria por Sara Almeida, feita no município de Itiquira-MT, em 16.08.2013.

FAMILIA TROCHILIDAE
SUFAMILIA TROCHILINAE
Ordem Trochiliformes

Outro nome popular: Beija-flor-verde-ouro-de-bico-curvo

Etimologia:
Polytmus - do grego polutimos = grande valor, precioso, suntuoso.
Guainumbi - do nome indígena tupi (Brasil) guainumbi ou guinambi dado a esta ave.
Citação: Aves Brasileiras- Johan, Christian Dalgas Frisch.

MACHO - ADULTO
Foto gentilmente cedida para esta matéria por Roberto Gallaci, feita no município de Dourado-SP, em 22.10.2013.
Observação do autor: Saída com o amigo Tarcisio Pavaneli,e guiado pelo competente Cal Martins.

BEIJA-FLORES DO BRASIL - NÚMERO 21

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Beija-flor-de-veste-verde

Anthracothorax viridigula Boddaert, 1783.

FAMILIA TROCHILIDAE
SUBFAMILIA TROCHILINAE
Ordem Trochiliformes

Anthracothorax - do grego anthrax, anthrakos = carvão, tição + tórax = peito tórax.
viridigula - do latim viridis = verde + gula = garganta, goela.
Citação - Aves Brasileiras - Johan, Christian Dalgas Frisch.


MACHO - JOVEM
Foto gentilmente cedida por Anselmo dAffonseca, feita no Rio Solimões (próximo ao Lago Catalão), Manaus-AM, feita em 03.07.2011. É uma das mais bem avaliadas, da espécie no Wikiaves.


Outros nomes populares: Beija-flor-garganta-listra-verde e e beija-flor-garganta-verde.

Distribuição geográfica: Venezuela, Guianas, Brasil (no Amazonas, Pará, Amapá, Marajó e Maranhão).

Caracteristicas: Comprimento 125 mm. Asa 72. Cauda 40. Bico 27. Peso 7g. Temp. 42ºC. Peso e medida dos ovos: 0,65g. 17 x 9,5. Vib. asa 30 p.s.
Dimorfismo sexual muito diferenciado.

Habitat: Floresta da hiléia nas imediações da savana e cerrado, onde nidifica.

Migração: Pequena migratória.


FEMEA - FILHOTE
Estas 3 fotos da sequência foram gentilmente cedidas por Michel Giraud Audine, feitas na Guiana Francesa (fora do Brasil/EX)  

Descrição: Lado dorsal verde-bronzeado-brilhante, supra-caudais e uropígio, verde-bronze-dourado. Retrizes centrais negro-aço. Retrizes laterais castanho-avermelhado terminado em azul-escuro, com ponta branca. Garganta verde-esmeralda-brilhante. Peito e barriga negro -veludo, com flancos verde-brilhante. Femea tendo o lado ventral branco, flancos verdes e na parte central com uma listra negra. A Parte dorsal é mais clara no macho.


FEMEA - NINHO
Estas duas fotos foram gentilmente cedida  por Danilo Almeida, feitas em um povoado, com nome de Santa Maria do Tapará, em Santarém-PA, Bioma Predominante da Amazônia Várzeas de Monte Alegre)

Biótopos para nidificação, banho, canto, parada nupcial, descanso e dormir.
O ninho é do terceiro tipo da Classificação A. Ruschi, e se assemelha as demais espécies do mesmo gênero, sendo ricamente ornamentando com liquens. É fixado em ramo horizontal de arbusto ou árvore e muito comum em bambu, a altura variável de dois a dez metros do solo. A incubação é de 14-15 dias e os jovens deixam o ao vinte dias de idade. A parada nupcial é mais destacada na fase de exibição de plumagem, quando a cauda é aberta durante o voo ao redor e frente a femea. O canto é muito pouco perceptível, pois o som emitido é muito surdo e serrilhado, parecendo o zumbido de um inseto cerambicideo, quando seguro na mão. tem assovios, mas estes são de tonalidades grave. O banho é mais frequente em respingos e nas folhas úmidas de orvalho, na parte da manhã, e mais raramente em poças de agua e dos córregos e rios. O pouso de descanso e dormir é feito em local abrigado. As flores preferidas são das famílias: leguminosas, voquisiaceas, bignoniáceas, bombacáceas, malváceas e outras rubiáceas em que se destaca a Genipa americana, onde muitas especies de beija-flores frequenta,m aos mesmo tempo, e travam constantes lutas pela invasão do território ou área de cada indidividuo. O reconhecimento desta especie no campo , em voo ou no pouso é facilitada pela coloração ou pelo seu ruido do canto surdo e grave, emitido durante o voo.
Citação:  Aves do Brasil -  Beija-flores - Augusto Ruschi.

BEIJA-FLORES DO BRASIL  - NUMERO 20